Publicidade

 

 

Mais uma vez a tristeza toma conta de uma significativa parcela da população biguacuense, com a notícia do falecimento da empresária Fabi Ramos,  (40 anos)  mãe de uma linda menina de oito anos de idade, vítima de complicações causadas pela Covid, adquirida a cerca de 40 dias, quando ela deu a luz ao seu segundo filho, um menino por demais esperado e amado e que ela não teve a chance de ver crescer.

Fabi Ramos era pessoa muito bem relacionada em toda a cidade onde gozava de muito prestigio como produtora de joias artesanais, deixando inconformados e muito triste uma enorme legião de amigos e admiradores.

Era casada com Eduardo Porcher, executivo diamante do Grupo Hinode, onde tinham uma carreira bem sucedida que   rendeu vários prêmios ao casal, inclusive um recente cruzeiro marítimo pelo litoral brasileiro..

Ambos frequentavam a Casa de Oração Maranata em Biguaçu, onde desenvolviam um intenso trabalho social de apoio à comunidades carentes.

Ironicamente, uma das últimas postagens de Fabi em sua página pessoal do Facebook, no dia  17 de fevereiro, ela reclamava, de forma irritada, da maneira como estava sendo atendida no pré-atendimento do Covid, desabafando: “  Por isso que tem gente que vai e coloca fogo na m… toda !!!  Sou gestante (estou de 7 meses) e estou na fila faz 3 horas pra ser atendida na tenda do COVID em Biguacu , gestante não tem prioridade: pode isso Arnaldo ?????

A Equipe dos Jornais em Foco, que ainda se ressente da prematura perda do seu editor Ozias Alves Junior  (coincidentemente internado do mesmo dia e no mesmo hospital que a Fabi) une-se ao coletivo sentimento de dor que dilacera os corações de seus amigos e familiares, desejado-lhes a força necessária para aceitar com serenidade esta missão celestial que lhe foi atribuída.

 

Pode ser uma imagem de 2 pessoas e pessoas sorrindo

 

 

 

👉 Receba diariamente notícias sobre Biguaçu: 
http://bit.ly/noticiasbiguacu

 

Publicidade