Por: Ozias Alves Jr. | 13/03/2018

Um soco no rosto está provocando a maior polêmica em Governador Celso Ramos, pois envolve uma importante família da política daquele município.

O episódio aconteceu com Gabriela Corrêa da Silva, 36, instrumentadora cirúrgica, que reside no bairro Fundos, em Biguaçu.

O caso aconteceu em Governador Celso Ramos mês passado num domingo em que a família reuniu-se. O jornal por enquanto não vai divulgar o nome do acusado da agressão, que é pai de um importante político da região, pois não conseguimos contatá-lo.

O episódio foi o seguinte: Gabriela tinha ido à casa de sua avó em Governador Celso Ramos com seus três filhos pequenos. Era um domingo ensolarado, muito abafado, ideal para refrescar-se na piscina. E a família estava reunida em torno da mesma.

Foi então que apareceu o filho do padrão do esposo de Gabriela. Junto com aquele jovem que chegou de carro, vieram cinco rapazes.

Um dos tios de Gabriela ficou p. da cara com aquela suposta “invasão” de rapazes. Segundo Gabriela, seu tio não queria que os rapazes fossem tomar banho de piscina.

“Os rapazes estavam ali porque iriam passear de Jet-sky. Não fui eu quem os convidou. Mas meu tio ficou furioso. Mas eu não podia mandá-los embora. Seria muita falta de educação”, observa.

O mal estar acabou provocando troca de ofensas entre o tio e Gabriela. Num determinado momento, o tio atacou chamando-a de “drogada”.

“Eu tive um passado com dependência química, mas eu me internei, fiz tratamento e me livrei do vício das drogas. Quem é que nunca teve um momento difícil da vida? Eu tive o meu. Já fui drogada sim, mas hoje não sou mais. Eu me recuperei. Ele não tinha de ofender com isso porque eu mudei e tenho direito a ter uma nova vida”, conta.

“Eu me submeto a qualquer teste de detecção de drogas para provar que estou recuperada. Tenho vergonha desse passado, mas o que mais quero é tocar a vida prá frente e nunca mais retornar ao vício porque é triste. Eu tenho o direito de ser respeitada, de não estar a toda hora sendo atacada pelo meu passado que, como diz a palavra, já passou”, observa.

 

AGRESSÃO

No calor do bate boca, Gabriela, quando ouviu a ofensa sobre seu passado de drogas, disse uma frase que enfureceu seu tio: “Eu já fui drogada sim, mas hoje não sou mais. Pior é você que é um….”

Não iremos registrar o termo que ela usou, pois é muito pesado e expõe uma situação muito delicada. O fato é que o tio desferiu um soco de mão fechada no rosto de Gabriela.

Naquele momento, ela estava com sua filha de um ano de idade no colo. Devido ao impacto do soco, Gabriela caiu e foi por muita sorte que, ao lado, encontrava-se um rapaz, filho de uma amiga sua, que teve o reflexo de pegar o bebê. Durante a queda da mãe, a criança poderia ter machucado-se seriamente.

 

CONFUSÃO

Gabriela registrou queixa na delegacia e está sendo pressionada pela família a desistir do processo de agressão.

“Mesmo que eu fizesse isso agora, já é tarde demais. O processo vai andar independentemente da minha vontade”, diz Gabriela.

Para ela, é questão de honra prosseguir para que seu tio seja exemplarmente punido porque Gabriela acha que seu parente não deveria ter tido a atitude que teve e deveria ser uma pessoa mais calma, comedida e diplomática, o que não teria sido na ocasião.

 

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco