Por: Ozias | 09/08/2017

Plano prevê a interligação do transporte urbano e construção de faixas exclusivas

Aconteceu na manhã de quarta-feira (09/08) na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) a audiência pública para discutir o Projeto de Lei Complementar n° 0007.3/2017 que compatibiliza a Lei n°636/2014 ao Estatuto da Metrópole e define as diretrizes para implantação do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis (Plamus).

O prefeito Ramon Wollinger (PSD) participou da reunião que foi proposta pelo deputado estadual João Amin, presidente da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Alesc, e reuniu prefeitos e autoridades da região metropolitana.

O Plamus é um projeto do Governo do Estado financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que desenvolveu um conjunto de estudos técnicos com visão integral da mobilidade urbana na região e que propôs uma série de melhorias no transporte urbano, plano de ciclovias, espaço para pedestres e estacionamentos.

O projeto que prevê a construção de terminais de integração nos municípios de Biguaçu e Palhoça e implantação de corredores exclusivos para ônibus nos municípios que compõem a região metropolitana interligando-os com o terminal de Florianópolis foi apresentado pelo superintendente Cássio Tanigushi, da Superintendência da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suferf).

 

 

PPP

A infraestrutura será implantada através de Parceria Público Privada (PPP) e as empresas terão concessão administrativa pelo período de 25 anos. Após o contrato, os espaços serão administrados pelos municípios.

Tanigushi destacou que “mais de 600 mil pessoas sofrem diariamente com o trânsito para chegar até Florianópolis devido aos gargalos que se formam desde a BR-101, passando pela Via Expressa e chegando às pontes”. O projeto contempla a implantação de mais duas faixas na Via Expressa, passando a rodovia a operar com três faixas exclusivas para veículos e uma para ônibus.

“As cidades da próxima geração serão o resultado das nossas ações no presente”, finalizou o representante da Suderf.

Prefeitos, vereadores e representantes de entidades presentes à audiência defenderam a necessidade de ampliar as discussões sobre a Lei Complementar, uma vez que a mesma apresenta artigos que supostamente prejudicariam os municípios, sobretudo na receita proveniente de multas e infrações de trânsito.

 

PROJETO

“Este é um projeto que trará inúmeros benefícios e desenvolvimento para nossa região, porém é importante que haja um diálogo mais aprofundado entre a Superintendência e as Prefeituras para que os munícipios não sejam feridos na sua autonomia e não sejam futuramente prejudicados”, defendeu o prefeito Ramon Wollinger.

Na próxima sexta-feira (11/08) acontecerá na sede da Associação dos Municípios da Grande Florianópolis (Granfpolis) um encontro técnico para que prefeituras, Alesc e Suderf possam debater o projeto.

Participaram da audiência desta quarta-feira o prefeito de Governador Celso Ramos e presidente da Granfpolis, Juliano Duarte, a prefeita de São José e presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Adeliana Dal Pont, e o secretário de Estado de Planejamento, Murilo Flores. O evento também foi prestigiado por vários parlamentares e representantes de associações, conselhos e entidades civis. (Texto da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Biguaçu)