Por: Amanda Arruda | 22/08/2018

Homo Literatus Brasileirus

 

Abençoado grito dos Andrade,

Seja Carlos, Mário ou Oswald;

Feliz a pátria verde-amarela

De poesia tão sem fim e bela.

 

Ricos sonetos coroam Moraes,

E o verso de Meirelles trazem paz

A um país mais alegre, mais culto:

Pela última flor do Lácio eu luto.

 

“Brasil, Escola da Anta”,

Não sei o gringo que isso disse;

Só sei que nada mais encanta

Do que os romances de Clarice.

 

Salva de palmas a toda nossa arte,

E mil vivas à nossa poesia

Que de nossa essência faz parte:

Machado, Billac e Menotti del Picchia.

 

Bênçãos se derramam sobre Arte Moderna,

E até mesmo o “parnasiano aguado”,

Que fizeram essa sacra arte tão terna;

Nossa mão dada e verso abraçado.

 

Mil vivas se ergam com plenitude,

Pelo nosso conto e nosso soneto;

Bendita também seja a negritude

De Castro Alves e Lima Barreto.

 

Por nossas Helenas e nossos cortiços,

E por toda a nossa imensa cultura

Erga-se sempre nosso brilho e viço,

E que chovam palmas à literatura.

 

(*) Amanda Arruda, 17, faz parte da nova geração de escritores de Biguaçu. Quem quiser adquirir o romance “A Heroína que virou Lenda”, entre em contato pelo fone (48) 9-9645-7045 ou pelo e-mail amandaarruda2001@yahoo.com.br.

 

AVISO
Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.
bit.ly/WhatsJBFoco