Por: Ozias Alves Jr. | 14/11/2018

 

 Aqui a lista transcrita das páginas 233 e 234 do livro “Alto Biguaçu” (1988), de Raulino Reitz (in memoriam).

No início, em 1833, não havia a figura do “prefeito”. Este era o presidente da Câmara, que além de ser o chefe do legislativo, eram quem administrava o município.

Em 7 de setembro de 1822, Dom Pedro Iº proclamou a independência do Brasil, ou seja, a colônia emancipava-se do julgo português e virou um país soberano.

Entre 1822 a 1889, o Brasil foi uma monarquia, tendo sido governado por dois imperadores. O primeiro foi Dom Pedro Iº, sucedido por seu filho Dom Pedro IIº.

Em 15 de novembro de 1889, foi realizado um golpe de estado que acabou conhecido pelo nome de “Proclamação da República”, ou seja, o Brasil não era mais uma monarquia, mas sim uma “República”. Os presidentes da República, os governadores e as autoridades municipais passariam a eleitos pelo voto.

O advento da República trouxe modificações na administração do país.

Entre 1833 a 1889, os “prefeitos”, ou melhor, os administradores do município de Biguaçu (na época chamado de São Miguel) foram:

 

1833-1835- Capitão Thomé da Rocha Linhares.

1836- Coronel Henrique de Azevedo Leão Coutinho.

1837- João Machado Santiago.

1838- Vicente Francisco Pereira.

1839- José Joaquim Dias.

1840- Alexandre José Varela.

1841- João da Silva Ramalho Pereira.

1842- João Francisco de Andrade.

1843-1844- Joaquim da Silva Ramalho.

1845-1846- João Machado Santiago.

1847-1848- João Francisco de Andrade.

1849-1852- Joaquim José Dias de Siqueira.

1853-1854- Cândido Machado Severino.

1855- Francisco Silveira Dutra.

1856- Cândido Machado Severino.

1857- José de Souza e Cunha.

1858-1864- Vicente Corrêa da Silva.

1865- Florindo José Dias.

1866- Manoel Nazário dos Santos.

1867-1868- Florindo José Dias.

1869- José Luiz Coelho Ramos.

1870- Francisco Silveira Dutra.

1871-1872- Manoel da Rocha Linhares.

1873- João Martins Barbosa (interino).

1873-1876- João da Costa Melo Júnior.

1877-1880- Florindo José Dias.

1881- 1882- Manoel Joaquim da Costa Siqueira.

1883- Francisco Silveira Dutra.

1884- Manoel Francisco Pereira.

1885- 1886- José Antônio da Costa.

1887- João Nicolau Born.

1888- 1889- Manoel Claudino Vieira.

 

Veio então a Proclamação da República de 1889. Os primeiros anos do novo regime foram tumultuados. Entre 1889 a 1894, ainda não havia sido instituído o cargo de “superintendente”, similar a “prefeito” (este último só surgiria após a Revolução de 1930).

Os que ocuparam o cargo foram:

 

1890- Onofre de Paula Regis.

1890- Jacob Schiphorst (interino).

1890- Joaquim Carlos de Carvalho (interino).

1891- João Nicolau Born.

1892- José Luiz Gomes.

1893- José Joaquim Dias Siqueira.

1894- João Nicolau Born.

Em 1895, passada a Revolução Federalista (1893-1894), o país entrou na “normalidade” e eleições foram promovidas. Em Biguaçu, João Nicolau Born, que já era superintendente desde 1894, foi eleito para o mandato 1895-1898. Ou seja, João Nicolau Born é considerado o PRIMEIRO prefeito porque foi eleito para esse cargo específico, o que antes não acontecia.

Na foto estampada deste artigo foi a capa do livro “História de Biguaçu através de sua gente” (1989), de autoria de Iaponan Soares e Ana Lúcia Coutinho Locks.

Infelizmente nem o “Album do Estado de Santa Catarina” (1908), de onde a foto foi extraída, nem os autores de “História de Biguaçu através de sua gente” (1989) informaram quem eram os conselheiros municipais (vereadores) que aparecem no quadro em questão.

Identifiquei apenas dois- um é o industrial Ernesto Meyer e outro, sentado, é Teixeira de Oliveira (1845-1918). O barbudo de pé e mais alto é meio parecido com João Nicolau Born (1846-1911), mas tenho dúvidas. Portanto, descartei. Só tenho certeza de dois nomes.

Fui ao livro “História do Município de Biguaçu” (1988), de Iaponan Soares, para tentar descobrir quem poderiam ser esses conselheiros municipais.

O “Album” data de 1908. Por dedução, o livro estampava a foto das autoridades de Biguaçu daquele exato ano ou antes. Vale lembrar que no início do “Album do Estado de Santa Catharina”, livro este emprestado a mim por Minho e que pertencia a seu avô, o poeta Geraldino Atto de Azevedo (1885-1947), o editor, anônimo, informou: “iniciado em agosto de 1907/ concluído em julho de 1908”.

Iaponan conta que Manoel Teixeira de Oliveira (o 3º sentado, da esq. p/ dir) assumiu como superintendente de Biguaçu (algo equivalente ao prefeito dos dias de hoje) em 1899 e foi reeleito, permanecendo no cargo até 1906.

Para o mandato 1907-1910, segundo Iaponan, foram eleitos: 1) Ernesto Meyer (cujo rosto reconheci), 2) João Pereira da Luz, 3) João José de Moraes Cunha, 4) Francisco Nicolau Júnior e 5) Antônio Adão Schmidt.

A foto mostra sete e temos aqui cinco. O sexto era o já citado Manoel Teixeira de Oliveira. Portanto, o  sétimo deveria ser Emídio Corrêa de Amorim (1863-1925), que venceu a eleição para o cargo de superintendente em 1906.

Portanto, esta foto, pelo que tudo indica, deva ser de 1906, no qual mostrava o então recém eleito novo conselho municipal junto com Teixeira de Oliveira,o superintendente municipal que estava cumprindo o mandato em 1906.

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco