Por: smart | 1 mês atrás

O sul do Brasil é uma das regiões mais fortes do poker brasileiro e as conquistas mostram isso. O Campeonato Brasileiro de Poker (também conhecido como Brazilian Series of Poker, o BSOP) é disputado desde 2006.

Desde então cinco competidores do sul conquistaram o título do campeonato. Desse total, três representam Santa Catarina, uma forte evidência de como esse Estado é uma das grandes referências desse esporte da mente no país.

Em 2018, é provável que Santa Catarina não tenha nenhum representante que vença o ranking geral do Campeonato Brasileiro de Poker, mas isso não significa que os competidores que vestem as cores do Estado estão abaixo do esperado.

Com muitos profissionais em excelente momento, a temporada atual do BSOP já proporcionou excelentes resultados dos catarinenses e alguns deles estão na parte de cima do ranking geral.

O BSOP funciona em etapas e seis delas já foram disputadas neste ano. Falta apenas uma para a conclusão do circuito em 2018. Alcunhada de BSOP Millions, ela é considerada a etapa mais importante do poker latino-americano e será realizada em São Paulo durante o mês de novembro.

A edição mais recente do BSOP foi realizada em outubro, em Florianópolis. Apesar do título do evento principal não ter ido para as mãos de um catarinense (Alcioni Pollermann, de Pato Branco, foi o campeão dessa rodada), três competidores representando a capital de Santa Catarina ficaram entre os oito primeiros: Ibon Rodrigues (2°), Johnatan da Silva (7°) e Jerson Seemund (8°).

Nos eventos paralelos da etapa, os catarinenses Felipe Drapichinski e Pablo da Silva conquistaram um título e deram ainda mais orgulho ao poker de Santa Catarina.

No ranking geral, que hoje é liderado por Saulo Sabioni, o grande destaque catarinense certamente é Eder Ferronato. O já veterano competidor em etapas do BSOP é o mais consistente e melhor ranqueado do Estado na temporada 2018.

Ferronato vai para o BSOP Millions com a 13ª colocação em um ranking que tem mais de 1.600 competidores. A consistência do catarinense é impressionante visto que, mesmo sem ter ganho nenhuma etapa na temporada, ele segue entre os primeiros colocados e com possibilidades de grandes resultados no próximo evento.

O BSOP não é formado apenas pelo ranking principal que determina o campeão da temporada. Também há o ranking da modalidade Omaha e o Mixed Games. No Omaha, Ferronato também está muito bem colocado e ocupa a sétima posição, fato que também o classifica como o melhor catarinense na lista.

Já no Mixed Games, ele aparece na 13ª, feito que o coroa como um dos competidores mais consistentes de toda temporada do poker brasileiro.

Podendo subir ainda mais de ranking no BSOP Millions, que será disputado entre os dias 27 de novembro a 6 de dezembro, Ferronato admite que está um pouco apreensivo em relação a etapa.

“Estou um pouco ansioso, mas ao mesmo tempo, já passei por várias situações parecidas, acredito que isso irá me ajudar a vencer mais esse desafio”, afirmou em entrevista ao site Torcedores.com.

Além de Ferronato, outro competidor que merece muito destaque pela ótima temporada de 2018 é Kelvin Kerber. Natural do Paraná, há tempos ele representa Santa Catarina nas competições pelo Brasil afora.

Kerber aparece em 16° no ranking geral do BSOP, uma colocação honrosa que mais uma vez coloca o veterano competidor entre os primeiros do país. Mesmo sem ter a mesma regularidade e presença que Ferronato, Kerber conseguiu resultados brilhantes no ano e começou a temporada com dois títulos na primeira etapa da temporada, que foi disputada em São Paulo.

Com a grande atuação na capital paulista em janeiro deste ano, Kerber foi o primeiro competidor da temporada a conquistar o cobiçado Platinum Pass, uma espécie de “passaporte” que garante vaga ao competidor para um torneio de nível mundial que será disputado no início de 2019. A competição será nas Bahamas e ilustrará ainda mais o belo currículo internacional de Kerber.

O BSOP não é o único foco de Kerber. Neste ano, ele marcou presença na World Series of Poker (WSOP), evento realizado em Las Vegas que é amplamente considerado o mais importante do mundo no esporte das cartas.

Além de tudo isso, ele também é um dos principais do país no poker online. Kerber aparece constantemente entre os 100 primeiros do Brasil no ranking online e já ficou entre os melhores do mundo.

Foto por Melissa Haereiti >>> Pokernews “Rodrigo Garrido (foto) atento aos movimentos dos oponentes durante uma partida.”

Já Rodrigo Garrido, paulista radicado em Santa Catarina, está entre os 20 primeiros colocados do ranking geral. Ele tem dois títulos do BSOP na temporada (uma etapa de São Paulo e outra na Argentina) e acumula muita história no poker brasileiro.

Garrido é um dos representantes catarinenses que tem no currículo um título do ranking geral do BSOP. O feito espetacular veio em 2014 e desde então ele segue na elite do esporte das cartas no país.

Além de estar muito bem ranqueado na tabela geral, Garrido se destaca no Mixed Games. Recentemente ele alcançou a terceira colocação nesse ranking e atualmente tenta chegar cada vez mais próximo do líder.

Outro que veste as cores de Santa Catarina e tem no currículo o título geral do BSOP é Affif Prado. Entretanto, mesmo sendo o atual campeão brasileiro de poker, ele não vem sendo tão frequente nos torneios deste ano e só pontuou em três etapas diferentes (duas em São Paulo e uma em Brasília).

Ainda que não esteja entre os primeiros nas etapas, Prado ocupa a 73º colocação, um ranking bom tendo em conta os mais de 1.600 competidores que pontuaram no circuito em 2018.

Há tempos que o maior e grande parâmetro do poker nacional é o BSOP e a excelente participação de alguns que representam Santa Catarina na temporada deste ano dão ainda mais orgulho ao esporte catarinense.

Com a BSOP Millions se aproximando, Ferronato, Garrido e outros têm talento suficiente para realizarem grandes atuações nessa etapa final que é considerada a mais importante do poker latino-americano.