Por: Ozias Alves Jr. | 16/05/2018

Mesmo em tempos de crise, de empresas quebrando, empresários falindo, de gasolina custando em torno de R$ 4,00 o litro e mais de 12 milhões de desempregados, o prefeito de Biguaçu Ramon Wollinger (PSD) teve um crescimento em 3.342,5% no seu patrimônio no período entre 2004 a 2017, segundo dados oficiais da Justiça Eleitoral. acrescentado com dados até dezembro de 2017, não computados ainda.

Segundo dados do cartório eleitoral de Biguaçu e do site Divulgacandcontas.tse.jus.br, o prefeito Ramon declarou R$ 61 mil em bens na eleição de 2004. Em 2008, ele, vereador, acabou elegendo-se vice-prefeito. Em 2016, quando candidatou-se à reeleição a prefeito de Biguaçu, seu patrimônio declarado já encontrava-se em R$ 737.005,68, um crescimento de 352% em comparação a 2008.

Eleito em outubro de 2016, dois meses depois, Ramon adquiriu mais um bem que não consta na declaração da eleição de 2016. Trata-se de um apartamento nº 105 no 1º pavimento do Edifício Condomínio Residencial Larissa, na rua das Mangueiras, na praia de Palmas, Governador Celso Ramos.

O valor desse imóvel, segundo consta na certidão do cartório de imóveis, é de R$ 180 mil. Esse bem não foi informado à Justiça Eleitoral porque, conforme dito antes, foi comprado em dezembro de 2016, dois meses depois da eleição e, por lei, os candidatos são obrigados a declarar seus bens na hora da inscrição da candidatura, que acontece geralmente três ou quatro meses antes da eleição.  Portanto, não houve tempo hábil.

TRIPLEX

Já no ano passado, Ramon adquiriu apartamento de alto padrão no Edifício Von Gogh, da Construtora Moinho no bairro Deltaville, novo bairro de Biguaçu. O apartamento foi realmente adquirido, mas ainda não sabemos que se trata de uma cobertura.

No citado super apartamento, um “duplex” que reformado parece que acabou virando um Triplex (conforme dito antes, ainda não temos a confirmação de se trata de uma cobertura), no qual Ramon e sua família estão morando desde 2017, não está registrado no cartório de imóveis em nome do prefeito. Conforme consulta ao cartório de registro de imóveis na tarde da última sexta-feira (11/05), o apartamento do edifício do Deltaville realmente não está em nome de Ramon, apesar de que ele já está morando no local.

As questões são: por que não o registrou? Por que o apartamento em questão ainda continua no nome da construtora? Quanto custou o citado apartamento?

Por negar que a propriedade de um Triplex, o ex-presidente Lula acabou condenado e atualmente cumpre prisão em Curitiba. Não se sabe por que o prefeito Ramon não fala abertamente de seu “Triplex” ou super apartamento (recusou-se terminantemente de responder ao questionamento), mas o JBFoco consultou um corretor na cidade que avaliou esse imóvel no mínimo em torno de 1 milhão e duzentos mil reais.

O fato é muito simples. Hoje, somando o novo apartamento em Palmas (conforme dito antes, Ramon registrou-o no cartório) mais o triplex (que não está registrado lá- por isso a dúvida), os bens de Ramon já somariam R$ 2.117.005,68 (dois milhões, cento e dezessete mil reais).

Como Ramon afirmou na delegacia que adquiriu sim e foi “devidamente declarado na Receita Federal”, o patrimônio dele subiu de R$ 737 mil para R$ 2,1 milhões.

Ramon deve explicações: quanto custou o Triplex?

Sendo a base de cálculo for R$ 2,1 milhões (por causa do Triplex cujo valor, ainda desconhecido, certamente tem valor milionário), o crescimento de seus bens alcançou 3.342,5%.

Por isso, gostaríamos de explicações de parte do sr. prefeito.

 

Prédio para onde o prefeito Ramon mudou-se e onde está seu apartamento que, segundo depoimentos, é um Triplex de luxo. Ramon admitiu ter apartamento, mas não especificou preço e outros detalhes. (Foto JBFoco)

 

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco

 

Prefeito Ramon deve explicações ao município de Biguaçu

 

Ramon Wollinger: explicações. (Foto Arquivo JBFoco)

 

Esta avenida dá acesso ao prédio onde hoje o prefeito Ramon está presidindo. (Foto JBFoco)

 

Não estamos fazendo qualquer acusação, denúncia ou afirmação. Pelo contrário. Estamos refletindo fatos. Queremos esclarecimento. Apenas refletindo números oficiais que o prefeito declarou à Justiça Eleitoral.

Ramon é prefeito, isto é, um funcionário público cujo salário é pago pelos impostos pagos pela população. Quando for questionado, é obrigado, por lei, a prestar contas de seu patrimônio.  Como se diz popularmente, “questionar não ofende”. Qual a justificativa desse crescimento patrimonial, isso na pior crise econômica pela qual passa o Brasil?

Ramon deve explicações à sociedade.

 

TRIPLEX

Por causa de um Triplex que Lula insistiu em negar a propriedade e acabou sendo condenado, um fato chama a atenção. Atualmente o prefeito Ramon mora num Triplex. Sim, Ramon reside num amplo e espaçoso apartamento duplex (que, se não estivermos enganados, acabou virando um Triplex) no edifício Van Gogh, construído no endereço mais caro e luxuoso de Biguaçu, no recém inaugurado loteamento Deltaville, com amplas avenidas arborizadas e edificações elegantes, cuja entrada dá-se pelo Hospital Regional Helmuth Nass.

O Triplex ainda não foi declarado à Justiça Eleitoral em 2016 porque, segundo consta, o prefeito mudou-se para o novo e luxuoso endereço no ano passado, isto é, em 2017.  E o imóvel ainda não foi declarado no registro de imóveis.

Como um apartamento do estilo “Duplex duplo” ou “Triplex” não custa menos do que R$ 1,2 milhão (espera-se que Ramon não dê uma de Lula em querer negar que tenha um Triplex ou que venha a alegar que o mesmo custa o equivalente a um apartamento do Minha Casa, Minha Vida), a conclusão é a de que hoje, 2018, o patrimônio do prefeito Ramon esteja girando em R$ 2,1 milhões.

E perguntar não ofende: qual é o valor total de seu patrimônio hoje, prefeito Ramon?

Reiteramos. Não estamos fazendo qualquer acusação. Em nome da população, apenas queremos que o prefeito Ramon Wollinger, que era um jovem aparentemente sem grandes posses em 2000 (declarou um carro e uma moto já com certa idade de uso em 2000) quando iniciou-se na carreira política, é agora dono de um patrimônio MILIONÁRIO.

Qual a explicação? Ganhou herança? Economizou todos os salários de vereador, de vice e depois de prefeito sem nunca gastar um tostão sequer, nem pagando o imposto de renda? Tinha três ou quatro empregos? Dinheiro da esposa? Empréstimos? Tal como Lula, ganhou cachês para fazer palestras? Recebeu algum reforço da Mega Sena?

O prefeito Ramon precisa prestar contas. Não adianta alegar que não vai prestar contas de seu patrimônio alegando que se trata de sua “privacidade”. Como agente público, lembramos que Ramon é obrigado a esclarecer dúvidas. Aliás, Ramon deve ter alguma explicação.  Vale lembrar que, se esta for que recebeu herança ou ganhou na Mega Sena, ele precisa, segundo informam-nos advogados, declarar isso à Justiça Eleitoral. Pelo que consta nas prestações de contas oficiais, nada disso foi informado. Mas acreditamos que Ramon possa esclarecer todas as nossas dúvidas.

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco

JBFoco protocolou pergunta sobre apartamento, mas Ramon também não respondeu

 

Edifício Von Gogh.(Foto JBFoco)

 

Que o prefeito Ramon não venha com fazer-se de “vítima” ou com chororô. O fato é público e notório: Ramon não responde questionamentos.

Ao longo dos últimos meses, temos registrados inúmeros questionamentos, alguns até simples se a obra tem projeto, mas não adianta: Ramon simplesmente não responde.

Na realidade, o poder subiu à cabeça de Wollinger e este acha que não deve explicação de nada para ninguém. No entanto, ele esqueceu que ocupa cargo público e a lei exige transparência. Ramon não pode dar-se ao luxo de simplesmente não dar explicações.

Vale lembrar que não só os questionamentos do JBFoco não vêm sendo respondidos. Ele também não responde questionamentos de vereadores, como são os já protocolados pela bancada do MDB sobre questões alusivas à administração pública.

O prefeito acha-se um “Rei” que não deve explicação a ninguém e considera uma “afronta” ser questionado.

PROTOCOLO

Para esta reportagem, o JBFoco protocolou, em 11 de abril último, na prefeitura, vários questionamentos endereçados ao prefeito Ramon, entre os quais a seguinte pergunta: “O Sr. Adquiriu um TRIPLEX no Deltaville, próximo ao Hospital onde o Sr. Reside atualmente? Em que data? Quanto custou? É realmente um triplex?”

No final do protocolo, registramos: “Nosso objetivo é comparar o crescimento patrimonial de Vossa Excelência e outros Prefeitos e Vossa Excelência terá um espaço generoso para apresentar a sua versão de como conseguiu recursos para fazer todas essas aquisições, se é que existiram, e como está pagando por tudo isso, e para tirar qualquer dúvida do eleitor ou do cidadão, sendo esta matéria uma excelente oportunidade para o Sr. explicar de onde veio o dinheiro para todas essas aquisições, visto que é de interesse PÚBLICO conhecer a vida patrimonial dos políticos de quem se espera sempre RETIDÃO E HONESTIDADE.”

 

Prefeito poderia ter sido diplomático em responder e tirar todas as nossas dúvidas

 

Como Ramon não respondeu nosso protocolo, inclusive tendo a oportunidade de explicar a respeito do “Duplex” ou “Triplex” ou do belo apartamento em que mora, o JBFoco, que não abre mão de saber a verdade dos fatos, resolveu publicar esta matéria com a esperança de que, pela pressão popular e da câmara de vereadores, os questionamentos sejam sanados.

O JBFoco não é Ministério Público nem tem poder de polícia de fazer diligências e exigir a apresentação de documentos.

Como Ramon recusou-se a nos responder, de dar explicações, tomamos a decisão de publicar esta matéria para que a população saiba que este jornal protocolou questionamento oficialmente na prefeitura e que Ramon simplesmente se recusou a tirar nossas dúvidas.

O prefeito poderia ter sido diplomático em responder e tirar todas as nossas dúvidas, mas prefere prosseguir o caminho do “nada a declarar”. Que depois não venha a alegar que não teve espaço para apresentar sua versão. Este jornal deu-lhe toda a oportunidade para responder.

 

MATEMÁTICA

Hoje o prefeito de Biguaçu recebe R$ 15 mil por mês. Ramon assumiu o cargo em dezembro de 2014. Entre 2015 a dezembro de 2017, recebeu R$ 540 mil em salários, sem descontos de INSS e Imposto de Renda.

Atualmente o vice recebe R$ 9 mil. Ramon foi vice entre janeiro de 2009 a dezembro de 2014. Ao todo, arredondando, todos os salários deram R$ 540 mil.

Entre 2000 a 2008, Ramon foi vereador. Arredondando para R$ 9 mil o salário, dá R$ 864 mil em vencimentos. Na realidade, os salários de vereador antes eram mais baixos, mas preferimos arredondar tudo para valor mais alto.

Somando tudo, dá R$ 1,83 milhão, sem qualquer tipo de desconto. Salário puro e simples.

Ramon tem também salário de agente prisional concursado.

 

Além dos salários de político, Ramon é Agente Prisional concursado

 

Pedido de investigação dos vereadores do MDB de Biguaçu. (Foto Reprodução)

 

Ramon assumiu o cargo de agente prisional em 13 de agosto de 2007. (Foto Reprodução)

 

Registro de pedido de licença de Ramon em fevereiro de 2010. (Foto Reprodução)

 

Requerimento. (Foto Reprodução)

Em 13 de agosto de 2007, Ramon Wollinger assumiu o cargo de agente prisional. É concursado pelo governo do Estado de Santa Catarina.

Os salários líquidos ANUAIS que Ramon recebeu como agente prisional foram:

2007- R$ 6.736,78

2008- R$ 15.569,80

2009- R$ 16.487,10

2010- R$ 22.347,87

2011- R$ 30.100,00

2012- R$ 31.288,21

2013- R$ 26.627,78

 

Não temos dados de 2014. Sabe-se que em 12 de junho de 2014, Ramon, na época atuando como vice-prefeito, teria solicitado licença de três anos do cargo.

Castelo renunciou ao mandato em dezembro de 2014. Ramon assumiu como prefeito imediatamente.

Como atua como prefeito desde dezembro de 2014, Ramon não recebeu salários como agente prisional desde então.

 

POLÊMICA

Estourou a polêmica nesta semana segundo a qual o prefeito Ramon supostamente teria recebido o salário de agente prisional entre 2009 a 2010 quando ele já era vice-prefeito de Biguaçu.

A questão é: se tinha horário de expediente a cumprir (se não for provado o contrário, eram 40 horas semanais) como agente prisional ao mesmo tempo em que era vice-prefeito, em qual horário trabalhou?

Independente disso, a lei afirma que um funcionário público (tanto vice-prefeito quanto agente prisional são funcionários públicos) não pode receber dois salários do erário público ao mesmo tempo.

Vereadores da bancada do MDB na câmara de Biguaçu estão solicitando ao Ministério Público averiguar se procede ou não a suspeita de que Ramon recebeu ambos salários, pois ele só veio a pedir licença do trabalho de agente prisional em fevereiro de 2010, isto é, um ano e um mês depois que assumiu como vice-prefeito.

Documentos fornecidos pela secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, apontam que Ramon teria recebido salários no período, o que configura o choque com a lei. No entanto, é preciso um parecer do Ministério Público.

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco

Salários são compatíveis com os bens, mas e os impostos?

OK! Pela matemática, os salários arredondados são iguais ao valor estimado por baixo de seu patrimônio hoje. Portanto, os bens do prefeito estão perfeitamente justificáveis e equânimes com o que recebeu em salários. Ou seja, está tudo correto.

No entanto, esse dinheiro só seria possível se Ramon não gastasse um único tostão e não tivesse qualquer desconto de INSS e Imposto de Renda em todos seus salários, o que é impossível. O Imposto de Renda não dá trégua nunca.  Além disso, Ramon não gastaria com água, luz, telefone (plano de celular), comida, TV a cabo (se tiver), internet, gasolina ou até mesmo no pagamento das prestações para a aquisição dos bens.

É claro que, se Ramon tivesse guardado todos seus salários na poupança ou em alguma aplicação, os rendimentos seriam hoje milionários.

No entanto, a coisa não se encaixa. Segundo a declaração de bens de Ramon, o máximo que ele guardou na poupança foi o valor de R$ 22.994,50. Não informou à Justiça Eleitoral sobre grande volume de investimentos bancários.

O prefeito Ramon é convidado a explicar-se. O prefeito pode informar à sociedade se possui mais alguns bens? Tem alguma herança a receber? Erramos os cálculos? Nosso raciocínio está equivocado? Tem algum rendimento que aqui não consta? Quanto que sua esposa ajudou para adquirir os bens?

Que o prefeito esclareça as dúvidas como se espera de um “gentleman”.

Somando os salários

Aqui um resumo dos ganhos do prefeito Ramon entre 2000 a 2017:

Prefeito (dez.2014.dez.2017) R$ 540 mil
Vice-prefeito (Jan.2009 a dez.2014) R$ 540 mil
Vereador (jan. 2000 a dez.2008 R$ 864 mil
Agente prisional (2007/2013) R$ 149.157,54
  TOTAL- R$ 2.093.157,54

Evolução do patrimônio do prefeito Ramon Wollinger

 

Aqui o gráfico da evolução do patrimônio do prefeito Ramon Wollinger entre 2000 a 2016/17.

 

2000 2004 2008 2012 2016
Um carro ano 1994 e uma moto modelo 1998/1999. Não foi informado o valor R$ 61 mil R$ 163 mil R$ 341.418,56 R$ 737.005,68

 

 Obs: Aqui não estão computados um apartamento em Palmas (adquirido em 2017) e o Triplex no Deltaville, cujo preço oficial ainda não sabemos, mas não pode ser menos do que R$ 1 milhão. O apartamento é avaliado em R$ 1,2 milhão.

Conforme publicado no início da reportagem, baseado nos números declarados à Justiça Eleitoral, o crescimento patrimonial de Ramon entre 2004 e 2016 foi de 1.108%.

 

2000 2004 2008 2012 2017
Um carro R$ 61 mil. R$ 163 mil R$ 341.418,56 R$ 737.005,68 (dados de 2016) + R$ 180.000,000 (apartamento em Palmas) + R$ 1.200.000,00 (Triplex) TOTAL: R$ 2.117.005,68

 Obs: Aqui estão computados um apartamento em Palmas e agora Triplex no Deltaville, que o prefeito acabou admitindo na Delegacia de Polícia de Biguaçu, mas não forneceu mais detalhes sobre o quais solicitamos mais esclarecimentos.

Com o Triplex, cujo registro não consta no Cartório de Registro de Imóveis, e mais o apartamento em Governador Celso Ramos, adquirido em 2017 e devidamente registrado, o patrimônio de bens do prefeito Ramon aumentou , 3.342% em comparação a que tinha em 2004.

Resumo dos bens declarados entre 2000 a 2016 (Dados Oficiais)

 

Declaração de bens da eleição 2016 no site oficial da Justiça Eleitoral. (Foto Reprodução)

Bens de 2000

De acordo com o cartório eleitoral de Biguaçu, quando candidatou-se a vereador em 2000, Ramon declarou ter um carro GM Kadett 1.8 ano 1994 e uma moto Honda Titan 125 modelo 1998/1999. Na época, não se informava o valor estimado.  

..

Bens de 2004

Uma casa na rua Avanir Freiberger, centro de Biguaçu, valor R$ 50 mil.

Carro Monza 94. Valor R$ 7 mil.

Moto Honda NX 350 ano 1995. Valor R$ 4 mil.

TOTAL: R$ 61 mil.

Obs.: Os dados de 2000 e 2004 não constam no site Divulgacandcontas.tse.jus.br. As informações que constam aqui referentes aos pleitos de 2000 e 2004 foram fornecidas pelo Cartório Eleitoral de Biguaçu. Agradecimentos ao chefe do cartório, César.

..

Bens de 2008

 

Descrição        Tipo     Valor do Bem

Um Automóvel Fiat Palio WK Adventure R$ 38.000,00

Uma Casa de Alvenaria localizada à rua Avanir Freiberger, 515 – Centro – Biguaçu-Sc- R$120.000,00

Uma Motocicleta Honda NX 350 Sahara. R$5.000,00.

Total: R$163.000,00

Bens de 2012

 

Caderneta de Poupança – Caixa Econômica Federal – Conta 4518-4-         R$ 3.197,27

Caderneta de Poupança – Banco do Brasil – Agencia 5318 Conta 105777-4 R$ 41,41

Um Terreno Com 287m²  na Rua Avanir Freiberger – Centro – Biguaçu/Sc- R$115.000,00

Um Automóvel Vw Jeta Ano 2008  R$58.000,00

Caixa Consórcio R$5.705,38

Uma Motocicleta Honda Nx 350cc Sahara Ano 1995 R$ 4.500,00

99% das Quotas de Capital da Empresa Besen & Wollinger Correspondente Bancário Ltda       R$1.980,00

Caderneta de Poupança – Caixa Econoômica Federal – Conta 17872-9- R$22.994,50

Uma Casa na rua Avanir Freiberger, 515 – Centro – Biguaçu/Sc

R$130.000,00

 

Total: R$ 341.418,56 

  

Bens de 2016

 

1)         Vw jetta 2008 veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc.

R$ 40.000,00

2)         Cotas de capital da empresa besen e wollinger correspondente bancario quotas ou quinhões de capital

R$ 1.980,00

3)         Honda Shadow 2000/2001 veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc.R$15.000,00

4)         Caixa Econômica Federal caderneta de poupança. R$10.025,68

5)         Localizado na rua Avanir Freiberger terreno R$ 120.000,00

6)         Localizado na rua João José Rodrigues com 450m2 terreno R$ 150.000,00

7)         Localizada na Rua Avanir Maria Freiberger Casa. R$ 150.000,00

8)         Letra de Crédito Imobiliário na CEF Aplicação de Renda Fixa (CDB, RDB e Outros). R$ 100.000,00

9)         Localizado na rua João José Rodrigues com 420m2. Terreno. R$ 150.000,00

 

TOTAL EM BENS: R$ 737.005,68 (Até outubro 2016).

Ramon não responde protocolo em que o JBFoco perguntou se ele é dono de Triplex do Deltaville

 

Protocolo do JBFoco onde solicitando explicações do prefeito Ramon Wollinger sobre seu suposto Triplex. (Foto Reprodução)

 

Se há algo que o prefeito de Biguaçu, Ramon Wollinger (PSD), não poderá alegar é que o JBFoco não lhe concedeu espaço para dar suas explicações a respeito de questionamentos.

Mas Ramon simplesmente não responde nada, recusa-se a dar explicações e, pelo jeito, quer vencer pelo cansaço para não dar explicação alguma.

Em 11 de abril último, o colunista do JBFoco, Décio Baixo registrou, no setor de protocolo da prefeitura de Biguaçu, questionamentos dirigidos ao prefeito, entre os quais esclarecimentos sobre o Triplex.

Pelo jeito, Ramon está tendo a mesma atitude de Lula: negar-se a esclarecer sobre se é ou não dono de um apartamento de alto padrão no loteamento mais chique de Biguaçu (agora não tem mais como negar, pois afirmou na delegacia ter realmente adquirido o dito imóvel, mas sem fornecer maiores detalhes).

Aqui iremos transcrever o documento onde registramos vários questionamentos. Ramon recusou-se a responder.

 

PROTOCOLO

“PEDIDO URGENTE- Décio Baixo Alves, colunista do jornal Biguaçu em Foco, com endereço profissional na rua Leopoldo Freiberger, 21, Biguaçu-SC, vem informar a Vossa Excelência que o JBFoco está fazendo uma matéria para comparar o crescimento patrimonial dos Prefeitos Eleitos em algumas cidades da Grande Florianópolis antes e depois da polícia.

O patrimônio do político é uma informação de caráter público, de interesse público e revela se está havendo algum enriquecimento sem causa lícita sendo dever do Jornal não publicar nada que não seja VERDADE, razão pela qual pedimos seus esclarecimentos para evitar distorções por parte dos leitores, que serão avisados que lhe demos essa oportunidade.

Durante nossas pesquisas na internet, sobreveio algumas dúvidas que gostaríamos de seu esclarecimento antes da publicação da matéria, quais sejam:

 

  1. O sr. Adquiriu um TRIPLEX no Deltaville, próximo ao Hospital onde o sr. mora atualmente? Em que data? É realmente um triplex?
  2. A sua irmã, Secretária Karoline, está construindo uma casa no Deltaville. O sr. tem participação nessa construção? A empresa que fez a casa presta serviços para a prefeitura?
  3. O sr. construiu logo depois das eleições de 2016 um prédio (edificação) onde fica o Banco Unicred em sua antiga residência? Quanto custou? Foi o sr. que pagou a obra? Qual o valor? O contrato com a Unicred foi em 2016 antes ou depois das eleições? Qual o custo da demolição e da construção? Qual o valor do aluguel mensal? Houve utilização de recursos de sobra de campanha? A Unicred procurou o Gabinete do Prefeito dizendo que queria se instalar na cidade antes de fazer o negócio com o sr? Foi o sr. que ofertou esse negócio para eles? Foi no gabinete do Prefeito?
  4. O sr. tem um apartamento em Palmas, Governador Celso Ramos, ou a esposa? Qual valor? Desde quando?
  5. O sr. tem um imóvel na Praia Grande ou outra praia do município de Governador Celso Ramos, ou sua esposa? Qual valor? Desde quando? Por que não está em seu imposto de renda?
  6. O sr. está adquirindo um imóvel na rua João Born (antigo terraço e sede dos Bombeiros)? Qual valor da proposta? Já houve aquisição?
  7. O sr. e sua esposa estão adquirindo um ou DOIS imóveis em Gramado (RS) no empreendimento Gramado BV Resort (Unidade 316B-CVDK)? A prestação de cada imóvel é próxima de R$ 4.360,28? Quem está pagando esta prestação? Mais alguém de sua família está comprando no mesmo local?
  8. O sr. é sócio proprietário de uma Lotérica em Biguaçu? Qual o valor de suas cotas e sua participação? O sr. trabalha lá todos os dias?
  9. O sr. participa de construção ou sociedade de construção de imóveis em Tijucas?
  10. O sr. tem quais rendas atualmente e quando era candidato em 2016? Houve alteração significativa antes e depois da eleição?
  11. O sr. está adquirindo alguma área ou fez proposta de aquisição de alguma área próxima da futura Vila Militar no bairro Universitário ou no interior do munícipio próximo ao Contorno (Anel Viário)?
  12. O sr. é sócio ou recebe recursos da empresa RDBN Administradora de Bens (RDBN Administradora de Bens Ltda). CNPJ: 28.402.603/0001-39. Razão Social: RDBN Administradora de Bens Ltda. Nome Fantasia: RDBN Administradora de Bens. É propriedade de sua esposa? É nessa empresa que estão todos os seus bens? Existem outros bens não declarados em seu Imposto de Renda que estejam em nome de terceiros ou de empresas? O sr. adquire ou adquiriu outros bens em nome de empresas?

Nosso objetivo é comparar o crescimento patrimonial de Vossa Excelência e outros Prefeitos e Vossa Excelência terá um espaço generoso para apresentar a sua versão de como conseguiu recursos para fazer todas essas aquisições, se é que existiram, e como está pagando por tudo isso, e para tirar qualquer dúvida do eleitor ou do cidadão, sendo esta matéria uma excelente oportunidade para o Sr. explicar de onde veio o dinheiro para todas essas aquisições, visto que é de interesse PÚBLICO conhecer a vida patrimonial dos políticos de quem se espera sempre RETIDÃO E HONESTIDADE.

Agradeço sua atenção e renovo sinceros protestos de estima e consideração.

Décio Baixo Alves

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco