Por: Ozias Alves Jr. | 14/03/2018

Como fazer com que a informação relevante, que presta serviço ou confere transparência à administração pública, chegue aos cidadãos, como preconiza a Constituição Federal? Não há saída: somente a publicidade gerida de forma eficaz pode dar conta disso.

Quando bem utilizada, a comunicação ajuda a disseminar informações importantes, que vão desde uma campanha de vacinação em massa, passando pela divulgação da oferta de vagas em creches e escolas ou de concursos públicos, chegando até a contribuir para a prevenção de acidentes com vítimas.

Ocasionalmente, há polêmica quando se fala dos recursos destinados à publicidade dos Governos. E não é para menos. Os brasileiros estão fartos de verem o patrimônio público ser dilapidado por maus gestores e péssimos políticos, que utilizam de brechas na lei e subterfúgios para beneficiar amigos, parentes e a si próprios. Portanto, é compreensível que este seja um tema sempre observado com desconfiança.

Entretanto, problemas de gestão da coisa pública não podem ser pretexto para reduzir investimentos em publicidade oficial. Política pública que não alcança o público não é eficaz. Há um evidente equívoco quando se deixa de comunicar para evitar críticas de opositores. A comunicação deve ser esclarecedora, educativa, explicativa. E deve ser sim fiscalizada, afinal trata-se de dinheiro público. Mas ela é indispensável.

Outro aspecto pode ser avaliado no debate. Além de ser instrumento fundamental para garantir a transparência na aplicação de recursos públicos e a eficácia das políticas públicas, a comunicação é indústria que gera renda e postos de trabalho para milhares de profissionais – algo em torno de 10 mil empregos diretos no Estado.

O Sinapro/SC tem buscado elevar o nível das discussões em torno da aplicação de recursos públicos em publicidade oficial. Ainda que a polêmica sempre ronde o tema, é preciso de uma vez por todas que os críticos de plantão entendam que transparência é um dos pilares da democracia e que comunicação, no fim das contas, é investimento relevante para toda a sociedade.

Pedro Cherem

presidente do Sinapro-SC