Por: Ozias Alves Jr. | 11/06/2018

Ao apresentar o absurdo do projeto de lei querendo criar mais 34 cargos comissionados, o prefeito de Biguaçu, Ramon Wollinger (PSD), pelo jeito, não se deu conta de que está chamando de “incompetentes” os 1.726 funcionários que trabalham na prefeitura.

A questão é simples: será que não há, entre os 1.726 funcionários, maioria efetivos, servidores que tenham capacidade técnica mínima razoável para ocupar os cargos comissionados? Por que criar mais cargos? A troco de que esse verdadeiro ato de total deboche com a realidade de um país ainda convalescendo da grave crise econômica?

Além desse detalhe, há outro que chama a atenção. Conforme testemunha a vereadora Magali Prazeres (MDB), que é enfermeira de profissão e muito ligada ao setor de saúde, a atual gestão perdeu verbas federais para a criação de equipe de saúde da família. Era uma verba carimbada, sem contrapartida da prefeitura. O dinheiro federal custearia tudo. Mas qual foi o motivo que levou a prefeitura a perder o dinheiro?

A resposta é muito simples: INCOMPETÊNCIA! Com mais de 100 cargos comissionados, a atual gestão não conseguiu apresentar os documentos requeridos pelo Ministério da Saúde. A liberação da verba do programa em questão não passava de uma formalidade burocrática, de apresentação de documentos. E não é que conseguiram a proeza de deixar prazo passar e a prefeitura de Biguaçu perder o programa?

É, foi isso o que aconteceu, segundo testemunha Magali. Quer dizer, o prefeito Ramon não consegue, entre os 100 e poucos cargos comissionados que possui na sua gestão, uma equipe mínima COMPETENTE que consiga fazer o óbvio: reunir os documentos certos exigidos pelo governo Federal para a liberação de verbas a um importante programa na área da saúde.

Quer dizer, se não bastasse essa notória INCOMPETÊNCIA, o prefeito Ramon teve a ousadia de apresentar semana passada projeto de lei para a criação de mais 34 cargos comissionados, um verdadeiro “tapa” na cara dos cidadãos que não aguentam mais pagar tantos impostos.

O cidadão gasta mais de MEIO MILHÃO em publicidade sem explicar a razão disso, torra R$ 427 mil na compra de marmitas (também sem explicar a razão de tanta marmita!!!) e não responde um simples questionamento. O vereador João Domingos Zimmermann (MDB), por exemplo, já protocolou 40 pedidos de informação sobre obras públicas e a sua “Majestade Imperial Ramon Wollinger Iº” simplesmente não responde como se ele não devesse explicações e não houvesse a “Lei da Transparência”?

 

CARGOS

Os 34 cargos que Ramon quer criar são os seguintes:

01 – Superintendente municipal de defesa civil, 02 – Assessor de governo, 03 – Diretor de controle e atendimento externo do gabinete do vice-prefeito, 04, 05 e 06 – 3 assistentes da procuradoria, 07- Assistente de gestão e planejamento urbano, 08- Assistente de administração, 09- Gerente de Tecnologia de Informação, 10 – Gerente de Patrimônio e Controle Institucional, 11- Gerente de Assuntos contábeis, 12- Assistente de Programas e Serviços Estaduais e IGP, 13- Assistente de Manutenção de Equipamentos de Informática, 14- Superintendente da Receita, 15- Gerente da receita, 16- Assistente de Assuntos de receita, 17- Assistente tributário,  18- Diretor de Integração e Atenção em saúde, 19- Gerente de Unidade de Saúde Avançada, 20 – Diretor de Obras e Engenharia, 21- Diretor de Segurança em Obras, 22- Diretor de Gestão de Obras, 23- Gerente das Normativas de Trânsito, 24 – Superintendente da Assistência Social. 25, 26, 27 e 28- 4 Assistentes operacionais. 29- Assessor da Assistência Social e da Terceira Idade. 30- Assessor da Criança e da Juventude, 31- Coordenador de Habitação e Interesse Social, 32- Chefe de Divisão Agropecuária, 33- Diretor das Atividades Esportivas e 34- Assessor de Corregedoria.

 

QUESTIONAMENTOS

Ramon quer criar o “Gerente das Normativas de Trânsito”, isso numa cidade onde não tem sequer uma sinaleira.

“Diretor das Atividades Esportivas”. Ué? Não existe a CME (Comissão Municipal de Esportes)? Não tem gente contratada pela prefeitura para trabalhar com os esportes no município? Precisa de mais gente para gerenciar os esportes em Biguaçu?

“Assessor de Corregedoria”. O quê? O assessor do corregedor? Para servir cafezinho para ele?

“Assistentes da procuradoria”. Então aqueles funcionários que trabalham atendendo o procurador do município (advogado da prefeitura) são o quê? Peças decorativas? Estátuas da sala?

“Assistente de Assuntos de receita”. O quê? Vai ser a “sombra” do secretário municipal da receita municipal, o responsável pela arrecadação de impostos? É uma das salas com maior número de funcionários e, ainda assim, é pouco?

“Diretor de Integração e Atenção em saúde” e “Gerente de Unidade de Saúde Avançada”. Humm! Pelo jeito Ramon quer criar esses cargos já que os comissionados que nomeou para a secretaria municipal de saúde não conseguem sequer reunir documentos para um projeto de verba já carimbada e prestes a ser liberada, mas mesmo assim conseguiram a “proeza” de perder o programa, conforme já informado anteriormente nesta matéria pela vereadora Magali Prazeres.

 

DEBOCHE

Diante da repercussão negativa do caso, o prefeito Ramon mandou retirar imediatamente o projeto de lei de criação desses cargos, mas deixou rastro de indignação com o deboche com o dinheiro público. Como não é dele, mas sim público, pelo jeito o prefeito trata-o como se fosse na Casa da Mãe Joana.

Internauta cria sátira política e divulga pela internet. (Foto Divulgação)

VÍDEO

 

AVISO
Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.
bit.ly/WhatsJBFoco