Por: Ozias Alves Jr. | 11/07/2018

Sobre a discussão da reportagem de capa desta edição, o vice-prefeito Vilson Alves (PP) enviou a seguinte mensagem: “Sobre o contorno, você (a mensagem foi enviada a nosso colunista Décio Baixo Alves) está equivocado, pois nós e comunidades estamos brigando sim por mais acessos, são três trevos, 5 passagens superiores, e um túnel, morro da Forquilhinhas, estamos sim brigando por mais 2 túneis, um na Sorocaba de fora km 184+200 e um na fazenda KM 188+600, inclusive matérias já publicadas pelos jornais.”

Vilson refere-se à reportagem sobre a visita segunda-feira desta semana (09/07) do prefeito Ramon Wollinger (PSD) ao local das obras do Anel Viário, como é chamado o futuro desvio da BR-101 entre Biguaçu a Palhoça. Essa estrada passará por 13 quilômetros dentro do município de Biguaçu.

No projeto do governo federal, só haverá TRÊS túneis ao longo dos 13 quilômetros da rodovia em Biguaçu. Vejam bem: apenas TRÊS TÚNEIS para 13 quilômetros!!! Dependendo do local, o cidadão do interior de Biguaçu que quiser atravessar a estrada para acessar o outro lado terá de fazer um desvio de quilômetros o que antes era uma linha reta e direta.

Vilson discorda da matéria que criticou o fato de só haver poucos túneis. Alega que está brigando por mais acessos, pelo menos mais um túnel, sem falar de cinco passagens superiores e três trevos.

OK! Mas tem um detalhe: além da assessoria de imprensa não ter informado a respeito da tal “luta” por mais túneis (por que o prefeito Ramon não aproveitou para lembrar desse pequeno “detalhe”?), Vilson não focou o principal “foco” do artigo- a falta de uma estrada lateral no futuro Anel Viário.

Dentro da eventualidade de que seja construído mais um túnel, o que é bem difícil nesta altura do campeonato, a falta de uma estrada lateral para o trânsito local foi um pecado mortal do projeto.

Quando o projeto da nova estrada foi apresentado, a prefeitura de Biguaçu tinha de ter batido pé em não aceitar a rodovia enquanto não fosse prevista também a estrada lateral.  Tinha de dar murro na mesa: sem lateral, não tem estrada em Biguaçu.

Ora, pode ser radicalismo, mas o Anel Viário como está prevista será a maior “dor de cabeça” para o interior de Biguaçu no futuro. A nova rodovia vai impulsionar a instalação de condomínios, prédios, loteamentos, fábricas na região e qual a malha viária no local? Estradinhas rurais tortuosas dos tempos da carroça. E ainda por cima, cortadas por uma rodovia que, para atravessá-la, só haverá três túneis ao longo de 13 quilômetros. Não é preciso ser Nostradamus para prever os problemas para a mobilidade urbana na região!!!

Então, Vilson, que pretende ser candidato a prefeito em 2020, tem de ter personalidade neste momento e dar o murro na mesa. Nem que o governo federal abra uma estrada lateral SEM PAVIMENTAR. Sim, nessa altura do campeonato, se tiver uma estrada lateral mesmo sem ter asfaltamento, já é um paliativo. No futuro, a estrada, se pelo menos for aberta, deverá ser pavimentada. Vale lembrar que ainda boa parte das estradas do interior de Biguaçu não tem pavimentação até hoje.

Se o governo federal recusar-se até mesmo a abrir uma estrada lateral NÃO pavimentada ao lado do Anel Viário, aí não há outra solução a não ser incitar a população do interior de Biguaçu a promover protesto fechando a estrada ou até mesmo a própria BR-101 para deixar bem claro a reivindicação.

Vilson, ainda há tempo. Vamos batalhar por essa lateral e mais túneis porque, do jeito que está, o Anel Viário não passará de um incômodo. Faça sua parte para depois não ser acusado de omisso, de não enxergar um palmo diante do nariz.

 

Ozias Alves Jr

Editor

 

AVISO
Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.
bit.ly/WhatsJBFoco